• Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Demarest feminino e ASBZ masculino

são os grandes vencedores em 2019!

Que tarde foi essa? Nosso último encontro no ano não poderia ser diferente. Com duas partidas magníficas, o Demarest derrotou nos pênaltis o Pinheiro Neto e conquistou seu segundo título no torneio feminino da Liga. No masculino, depois de um empate sem gols no tempo normal contra o Machado Meyer, o ASBZ fez 2 a 0 na prorrogação e faturou seu quarto título no torneio. Os dois times que se classificaram em 2º lugar na fase de grupos, acabaram campeões! Além dessas decisões, também conhecemos os vencedores das Séries Prata feminina e masculina e Série Bronze masculina.

FEMININO

Logo no começo da tarde fomos brindados com a final feminina. Em um dos torneios mais equilibrados dos últimos anos, Demarest e Pinheiro Neto chegaram à final sem favoritos. Depois de campanhas parecidas na 1ª fase, não era possível apontar uma equipe com alguma vantagem na final. E realmente a partida foi assim. A primeira chance do jogo foi do Demarest. Aos 2 minutos, uma cobrança de falta de longe assustou a goleira Karina. Pouco tempo depois o Pinheiro Neto respondeu com um ataque rápido, chute forte e defesa da goleira Nicole. O jogo continuou com boas chances para os dois lados. Aos 19 minutos, Clara bateu de longe e encobriu a goleira Nicole, abrindo o placar para o Pinheiro Neto. Já no segundo tempo, o Demarest voltou controlando mais a bola e investindo no ataque. O resultado veio aos 4 minutos. Depois de uma cobrança de escanteio, a bola ficou viva na área e a defesa do Pinheiro Neto acabou cometendo falta dentro da área sobre Aline. . “É pênalti! É pênalti!” gritavam alguns torcedores. Pênalti marcado para o Demarest. A própria Aline cobrou e marcou seu 28º gol na temporada.

O jogo seguiu equilibrado mas com poucas chances reais de gol. A partida foi para a prorrogação e ganhou em emoção. O Pinheiro Neto já havia cometido cinco faltas e precisava ter muita cautela pra não sofrer um shoot out. O Demarest acabou não explorando essa possibilidade e o jogo terminou empatado. Nas cobranças de pênalti, o Demarest trocou sua goleira e Flávia foi para o gol. A mudança deu certo e ela defendeu duas cobranças do Pinheiro Neto, dando o título para o Demarest. É a segunda conquista da equipe, que já havia vencido o campeonato em 2011. “Vocês merecem, vocês são demais!” dizia o professor Chaccur que, segundo alguns, já recebeu propostas do exterior.

Nessa tarde também tivemos as outras decisões femininas. O Mattos Filho derrotou o Tozzini Freire por 3 a 2 e ficou com o 3º lugar da Série Ouro. O ASBZ ficou com o título da Série Prata ao vencer o Trench Rossi por 1 a 0. O Stocche Forbes deixou o melhor para o final e venceu novamente o Machado Meyer na disputa pelo 3º lugar da Série Prata.

Na cerimônia de encerramento, tivemos ainda os seguintes prêmios entregues:

Artilheira: Aline Jorge, do Demarest, com 28 gols;

Melhor goleira: Karina Kuznetzow, do Pinheiro Neto;

Melhor jogadora da final: Aline Jorge, do Demarest;

Seleção da Liga (escolhidas pelos técnicos adversários durante o campeonato): Karina Kuznetzow (Pinheiro Neto), Aline Jorge (Demarest), Giovanna Arriente (Demarest), Amanda Lima (Tozzini Freire), Mayara Silva (Tozzini Freire), Clara Andrade (Pinheiro Neto) e Maria Luiza Trivelin (ASBZ).

Pela primeira vez na Liga Jurídica, o troféu passa a ser transitório. O Demarest teve sua plaquinha colada na base e fica com a taça até o Congresso Técnico do ano que vem, quando receberá seu troféu definitivo.

MASCULINO

A maior rivalidade masculina da Liga Jurídica estava sendo colocada à prova novamente. O Machado Meyer, cinco vezes campeão da modalidade já havia vencido o ASBZ em outras duas finais. Tricampeão, o ASBZ nunca havia superado o rival em uma finalíssima. O jogo foi muito equilibrado desde o início. Até a primeira metade do primeiro tempo, nenhuma boa chance de gol foi vista. Perto do final da primeira etapa, o Machado Meyer passou a ter mais posse de bola e criou duas boas oportunidades de gol, mas que pararam no goleiro. No segundo tempo o jogo foi mais aberto e com mais chances de mudanças no placar. A primeira delas foi do ASBZ aos 9 minutos. Em cobrança de falta, a bola desviou no caminho e passou muito perto. Aos 13, o Machado respondeu. Em um contra-ataque rápido, a bola sobrou para Arnaldo que, sem goleiro, pegou mal na bola e bateu por cima. Com o fim do tempo normal, fomos para a prorrogação. O primeiro tempo foi frenético, com boas chances dos dois lados, torcedores com o coração na boca, mas com o empate prevalecendo. Nos últimos cinco minutos de jogo, o título foi decidido. Aos 2 minutos, em cobrança de lateral, Alan desviou de cabeça e abriu o placar para o ASBZ. O Machado Meyer se lançou ao ataque em busca do gol de empate. Num contra-ataque do ASBZ, o Machado acabou cometendo a sexta falta. Era tudo que o ADSBZ precisava para matar o jogo. Na cobrança de shoot out, Raphael driblou o goleiro e com muita calma marcou o segundo gol. Esse é o quarto título do ASBZ no torneio masculino. “Mister, Mister, ole ole ole ole, Mister, Mister” brincava a torcida do ASBZ presente a Arena WS.

Além da final, tivemos também as outras decisões masculinas. O Pinheiro Neto ficou com o 3º lugar da Série Bronze. O Pipek venceu o Lobo & de Rizzo e ficou com o título. Na Prata, O Siqueira Castro goleou o Sergio Bermudes e ficou com o terceiro lugar. Na final, o Mattos Filho venceu o Demarest e sagrou-se campeão. Na disputa pelo terceiro lugar da Série Ouro, o Tozzini Freire venceu o Trench Rossi e ficou com as medalhas de bronze.

Na cerimônia de encerramento, tivemos também os seguintes premiados:

Artilheiro: Alan Novaes (ASBZ) com 23 gols;

Melhor goleiro: Gustavo Taiar (ASBZ);

Melhor jogador da final: Arnaldo Ramos (Machado Meyer);

Seleção da Liga (escolhidos pelos técnicos adversários durante o campeonato): Gustavo Taiar (ASBZ), Alan Novaes (ASBZ), Luis Godoy (Tozzini Freire), Gabriel Santoro (Trench Rossi), João Pedro Zilio (Machado Meyer), Rodrigo Batah (Machado Meyer) e Arnaldo Ramos (Machado Meyer).

Assim como no feminino, o troféu passa a ser transitório. O ASBZ teve sua plaquinha colada na base e fica com a taça até o Congresso Técnico do ano que vem, quando receberá seu troféu definitivo.

Além dos jogos e da premiação, todos puderam curtir o tradicional churrasco da Liga. A Associação Atlética Liga Jurídica e a Sportiva parabenizam os escritórios que acreditam no esporte, todos os atletas que jogaram a Liga nesse ano, além de todos os árbitros, staff e fornecedores da Liga Jurídica. Nos vemos em 2020! Em breve as inscrições estarão abertas!

.

 
 

ARENA WS (Nacional)

Av. Marquês de São Vicente, 2477

Barra Funda, São Paulo - SP

 

Além da Liga Jurídica, a Sportiva organiza outros torneios e campeonatos entre os maiores e mais importantes do país. Entre empresas ou exclusivos para os funcionários de apenas uma, os campeonatos podem ter diversos tamanhos ou formatos, sendo realizados em diversas datas ou em apenas uma! Especializada na organização total do campeonato, a Sportiva cuida desde a criação do nome, logotipo, identidade visual, hotsite, páginas em redes sociais, até a realização dos jogos, com arbitragem oficial, equipe médica, fotos, vídeos, entrevistas, resenhas das rodadas, premiação com medalhas

customizadas, troféus e cerimônia de encerramento. Além disso, temos um verdadeiro cardápio de sugestões extras para incrementar o campeonato e a festa de encerramento, como serviço de churrasco ou espetinho, grupos de música ao vivo, DJs, álbum de figurinhas customizado dos times e jogadores do torneio, presença de celebridades como ex-jogadores e jornalistas, dentre outras diversas opções. Tudo isso adequado ao seu orçamento. Entre em contato conosco: www.sportiva.com.br

/AALigaJuridica

/AALigaJuridica

/aaligajuridica

Organização e realização:

Sportiva Marketing e Eventos

www.sportiva.com.br